O blog da Nanda

um espaço eclético zen

Um belo dia (poesia)

Posted by Nanda on November 30, 2007

As garras ávidas do destino

Nos arrastam desprevenidos,

Para longe, bem longe,

De caminhos conhecidos.

Num relance quase agonizante

Vejo o filme da minha vida,

No labirinto infinito do ser imigrante,

Muitas vezes, beco sem saída.

Pelos olhos da minha alma

Passam imagens voando a mil,

Como tempestade de chuva calma,

Transbordo de saudades do Brasil.

O consolo traz suscetíveis lembranças

De um ou outro momento de paz.

Esqueceu-se de esperar, a esperança,

De voltar ao que ficou para trás.

Na embriaguez sempre delirante

Dos meus sonhos acordada,

Revelam-se paisagens eternas,

Belas, cuidadosamente guardadas.

Vejo as ondas de Copacabana,

Pintadas em múltiplos tons de verde,

Numa sinfonia de ritmos diversos,

Transformam-se em espelho vivo do Universo.

Vagueio livre, sigo em frente,

E respiro bem profundamente

A brisa de todo aquele imenso mar,

Que sempre vai, mas insiste em voltar.

Da Pedra do Arpoador

O sol nasce lindo todo dia.

Só o respeito que há no silêncio,

Para entender tanta magia.

Nesta viagem emocionante

Me transporto a Ipanema,

Onde o sol se põe deslumbrante,

Como um eterno poema. 

O doce balanço da garota famosa

Estava na cadência daquele mar.

Só Vinicius e Tom para captar

Os encantos de uma cidade maravilhosa.

Na minha visão pra lá de surreal

Paro de repente extasiada.

Me deparo com um monumento nacional:

O Dois Irmãos no fim da estrada.

Rio lindo de janeiro a janeiro

Sinto saudades de ti,

Do Brasil de corpo inteiro,

Do Oiapoque ao Chuí.

No Nordeste vejo a noite descer no sertão,

A última lamparina a se apagar em Minas.

Sentindo o cheiro forte do chimarrão,

Ando a passos largos na São João.

Saudades demais … as minhas

Vão muito além do meu lugar.

Faltam tantas coisas nas entrelinhas

Que não dá nem para explicar.

Sinto falta das festas que entram noite afora,

Do pão quentinho da padaria,

Dos almoços aos domingos com a família,

Dos amigos sinceros de todas as horas.

A minha alma é morena,

Brasileira, de coração.

Da última geração à primeira,

Uma verdadeira paixão.

No luscofusco, céu e mar se unem

No derradeiro suspiro do dia.

À realidade de súbito me trazem,

Fazendo da minha saudade poesia.

Exílio inevitável,minha doce agonia,

Vigia o exímio desejo incansável,

Que guarda no peito a certeza,

De voltar para o Brasil … um belo dia. 

 

About these ads

3 Responses to “Um belo dia (poesia)”

  1. julinho said

    Que lindo!!!! Adorei a foto também.

    Beijos,
    Julinho

  2. Marina said

    Lindissimo querida amei!!! mas de verdade que tudo isso e saudades?
    A quanto tempo vc nao vai ao Rio?
    Tmb tenho muitas saudades de la, se nao fosse o extress de andar pelas ruas eu ate baixaria la para matar as saudades.

    Para q/vc saiba cheguei do brasil depois de 21 dias e finalmente comprei o liquidificador especial e comecei o trabalho com as folhas verdes o suco com banana lembra?
    Estou me sentindo otima,obrigadissimo pela dica.
    Me chame pela noite ou no final de semana para colocarmos os assuntos em dia.

    Abracos,
    Marina

  3. Renato said

    Oi Maria Fernanda!

    Linda, linda a poesia! Parabéns! Vou te mandar umas minhas tb!

    Beijos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: